Prefeito de Brumadinho diz que a cidade não está recebendo apoio suficiente

Browse By

Prefeito de Brumadinho diz que a cidade não está recebendo apoio suficiente

Prefeito de Brumadinho diz que a cidade não está recebendo apoio suficiente e diz que a situação tende a piorar.

Um mês depois da tragédia do maior acidente trabalhista do Brasil, rompimento da barragem de Brumadinho, o prefeito da cidade, Avimar de Melo Barcelos, reclama da falta de apoio à cidade.

Além disso, o prefeito reclama da diminuição do número de bombeiros que fazem buscas e da falta de repasse de verba do governo estadual.

“Por enquanto a gente está um pouco abandonado pelo governo Estadual e Federal. o efetivo do bombeiros já foi bem maior, eles já foram embora em grande parte”, disse.

“Ainda tem muitas vítimas debaixo da lama, os bombeiros estão indo embora e as pessoas podem não serem encontradas, o que as famílias querem agora é um enterro digno”, afirma o prefeito.

Avimar de Melo diz ainda que, depois da tragédia, o estado de Minas Gerais prometeu pagar os afetados, repassar R$ 23 milhões, o que não aconteceu.

“Fui lá na semana passada e eles disseram que não puderão pagar, que estão apertados”, concluiu.

Prefeito de Brumadinho diz que a cidade não está recebendo apoio suficiente
Prefeito de Brumadinho diz que a cidade não está recebendo apoio suficiente

Clique Aqui e Veja o Que eu Descobri na Sessão de Ontem Acerca da Participação Popular na criação de leis do município de Periquito.

Como funciona os debates acerca dos Projetos de Lei a serem aprovados em Periquito
Instituto Cenibra aposta em parcerias para promover o desenvolvimento social e econômico no leste de Minas
Com apoio da CENIBRA Projeto Encontro Marcado com Fernando Sabino chega a Periquito
Bombeiros percebem movimentação de rejeito em Barragem de Brumadinho
ANM coloca em consulta pública proposta de acabar com barragens como a de Brumadinho
Procurador Geral de Justiça afirma que tragédia de Brumadinho não foi obra da natureza
Juiz afirma que funcionários da Vale poderiam ter evitado maior parte das mortes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O Conteúdo Deste Site é Protegido!!