Browse By

Moradores de Macacos se reúnem para discutir futuro da região e Vale não comparece

Moradores de Macacos se reúnem para discutir futuro da região e Vale não comparece.

Na noite desta segunda-feira (18), os moradores de São Sebastião das Águas Claras, distrito de Nova Lima, Macacos, se reuniram para discutir futuro da região, porém, nem a prefeitura e nem a Mineradora Vale compareceram.

Cerca de 400 pessoas estiveram no encontro, dentre eles o Ministério Público de MG, representantes da comunidade, Defensoria Pública de Minas Gerais e políticos.

Apesar de convidadas, a Mineradora Vale e a Prefeitura não compareceram a reunião.

A Vale é responsável pela barragem B3/B4 ao qual subiu risco para o nível 2 no fim de semana e obrigou a evacuação de 215 pessoas.

De acordo com o morador do condomínio Arvoredo, Alberto Rocha Torres as autoridades orientaram os moradores:

  • Não confiar no que a Vale fala, porque ela não compareceu para tratar assuntos e futuro da região.
  • Moradores não se dividirem, na busca de evitarem acordos menores.
  • Necessidade de uma auditoria independente, feita por empresa sem qualquer ligação com a mineradora.

Ainda de acordo com Alberto, “houve uma espécie de anuência e todo mundo acha que tem que haver uma ação para cobrar. O clima estava bem pesado e a revolta era enorme”, disse.

Moradores de Macacos se reúnem para discutir futuro da região e Vale não comparece
Moradores de Macacos se reúnem para discutir futuro da região e Vale não comparece

Clique Aqui e Veja o Que eu Descobri na Sessão de Ontem Acerca da Participação Popular na criação de leis do município de Periquito.

Como funciona os debates acerca dos Projetos de Lei a serem aprovados em Periquito
Instituto Cenibra aposta em parcerias para promover o desenvolvimento social e econômico no leste de Minas
Com apoio da CENIBRA Projeto Encontro Marcado com Fernando Sabino chega a Periquito
Bombeiros percebem movimentação de rejeito em Barragem de Brumadinho
ANM coloca em consulta pública proposta de acabar com barragens como a de Brumadinho
Procurador Geral de Justiça afirma que tragédia de Brumadinho não foi obra da natureza
Juiz afirma que funcionários da Vale poderiam ter evitado maior parte das mortes