Marco Aurélio cita 'inimizades' com Gilmar Mendes no STF

Browse By

Marco Aurélio cita ‘inimizades’ com Gilmar Mendes no STF

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, em despacho assinado na terça-feira passada se declarou suspeito e rejeitou analisar um pedido que contestava decisão anterior proferida pelo também Ministro Gilmar Mendes.

O caso envolvia a empresa Arpen Indústria e Comércio.

O que chamou a atenção no despacho foi a justificativa apresentada por Marco Aurélio para recusar a análise da contestação: sua “relação de inimizade” com Gilmar Mendes.

“Impugna-se, nesta reclamação, pronunciamento formalizado por ministro do Supremo com quem tenho relação de inimizade”, escreveu ele no despacho.

“Ante o contexto, (…) assento a suspeição para atuar enquanto julgador”, acrescentou Marco Aurélio. Depois da recusa, ele pediu à Secretaria Judiciária da Casa para que enviasse o processo para outro ministro.

No entanto, ao ser procurado, Gilmar disse que não falaria sobre o assunto.

INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE

Como funciona os debates acerca dos Projetos de Lei a serem aprovados em Periquito
Instituto Cenibra aposta em parcerias para promover o desenvolvimento social e econômico no leste de Minas
Com apoio da CENIBRA Projeto Encontro Marcado com Fernando Sabino chega a Periquito
Bombeiros percebem movimentação de rejeito em Barragem de Brumadinho
ANM coloca em consulta pública proposta de acabar com barragens como a de Brumadinho
Procurador Geral de Justiça afirma que tragédia de Brumadinho não foi obra da natureza
Juiz afirma que funcionários da Vale poderiam ter evitado maior parte das mortes

Como funciona os debates acerca dos Projetos de Lei a serem aprovados em Periquito
Instituto Cenibra aposta em parcerias para promover o desenvolvimento social e econômico no leste de Minas
Com apoio da CENIBRA Projeto Encontro Marcado com Fernando Sabino chega a Periquito
Bombeiros percebem movimentação de rejeito em Barragem de Brumadinho
ANM coloca em consulta pública proposta de acabar com barragens como a de Brumadinho
Procurador Geral de Justiça afirma que tragédia de Brumadinho não foi obra da natureza
Juiz afirma que funcionários da Vale poderiam ter evitado maior parte das mortes