OAS admite pagamento de propinas a Fernando Pimentel - PEN

Browse By

OAS admite pagamento de propinas a Fernando Pimentel

OAS admite pagamento de propinas a Fernando Pimentel, Jaques Wagner, Eduardo Cunha, e Edison Lobão.

De acordo com o relatório obtido por O Globo, nesta quarta-feira (27), a empreiteira admitiu ter pago propinas ao ex-ministro do governo Dilma e ex-governador, Fernando Pimentel e outros mais.

A empreiteira teria distribuído, em 2010 a 2014, cerca de R$125 milhões em propinas e repasses de caixa 2 a pelo menis 21 políticos de 8 partidos.

A notícia foi revelada por 8 ex-funcionários da construtora, em um rol de 127 depoimentos em delação cujo foi homologada, no ano passado, pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Com um relatório de 73 páginas da Procuradoria-Geral da República (PGR), a publicação contém informações sobre campanhas financiadas irregularmente, obras superfaturadas para alimentar o caixa clandestino da empreiteira, método do funcionamento do esquema e nomes dos políticos e beneficiados.

Entretanto, o esquema ilegal da construtora envolveria o superfaturamento de grandes obras além de empreendimentos no interior.

A arena do Grêmio é citada em uma dos empreendimento superfaturados.

OAS admite pagamento de propinas a Fernando PimentelOAS admite pagamento de propinas a Fernando Pimentel
OAS admite pagamento de propinas a Fernando Pimentel

Clique Aqui e Veja o Que eu Descobri na Sessão de Ontem Acerca da Participação Popular na criação de leis do município de Periquito.

Como funciona os debates acerca dos Projetos de Lei a serem aprovados em Periquito
Instituto Cenibra aposta em parcerias para promover o desenvolvimento social e econômico no leste de Minas
Com apoio da CENIBRA Projeto Encontro Marcado com Fernando Sabino chega a Periquito
Bombeiros percebem movimentação de rejeito em Barragem de Brumadinho
ANM coloca em consulta pública proposta de acabar com barragens como a de Brumadinho
Procurador Geral de Justiça afirma que tragédia de Brumadinho não foi obra da natureza
Juiz afirma que funcionários da Vale poderiam ter evitado maior parte das mortes